M-Learning: o mercado se abre para essa tendência

25 Mar

Como as mudanças acontecem com muita velocidade e dinamismo, o tempo para capacitação é cada vez mais escasso. Para sanar os problemas de falta de estudo por causa de tempo, os dispositivos móveis tem um papel fundamental neste processo. É nesse momento que apresentamos o Mobile Learning, ou m-learning como é chamado no mercado. O m-learning possibilita o acesso às tecnologias de informação e comunicação em qualquer momento e lugar através de ferramentas simples como o smartphone ou o tablet.

Sabemos que a utilização de dispositivos móveis não para de crescer, e com isso, o ambiente tradicional de TI nas empresas está em constante mudança. Cerca de 90% das companhias já implementaram dispositivos móveis – a maioria smartphones – a tendência é que a maioria delas passe a utilizar tablets ainda em 2013.

A questão é: por que as empresa que desenvolvem tecnologias para e-learning ainda custam a adaptar-se a esse novo mercado tecnológico?

O mercado hoje evidencia a tendência à incorporação de soluções educacionais em dispositivos móveis (m-learning) na educação corporativa online, que por sua vez, traz benefícios significativos para o ensino e aprendizado formal e informal.

É por isso que, após a integração das empresas TAEX e Gestum, um dos desafios da empresa passou a ser o desenvolvimento de soluções educacionais multimídia como serious-games, e-learning, ambiente virtual de aprendizagem, e-book, videoconferência, mobile-learning (m-learning) e software de autoria para desenvolver cursos online. Destes, o que mais tem provocado à equipe uma intrigante sensação de desafio é o desenvolvimento de cursos Multiplataformas, entre elas o m-learning.

Como o mercado de trabalho está em constante evolução pelo avanço das tecnologias, novas formas de agir e pensar sobre a relação entre educação, ensino e aprendizagem acabam criando nas empresas a busca pela capacitação e atualização dos recursos educacionais que possam potencializar o aprendizado. Atualmente, as empresas estão capacitando seus colaboradores através de cursos presenciais, virtuais (e-learning) e mistos (blended-learning). Porém, mesmo com a aplicação de tecnologia aplicada à educação empresarial, os cursos em e-learning tem sido restrito ao acesso via computador, o que se limita a um lugar fixo, não sendo possível sua mobilidade. O colaborador de uma empresa, então, precisa adaptar sua agenda dentro do local de trabalho para viabilizar algumas horas de aprendizagem e o aluno da faculdade teria que executar os cursos em casa ou dentro da faculdade.

Neste contexto, o m-learning facilita o acesso aos recursos pedagógicos, atendendo as necessidades de aprendizagem imediata, mas com flexibilidade, interatividade e mobilidade para atender as necessidades de aprendizagem em qualquer hora e lugar.

Não acredito que devemos comparar o e-learning com o m-learning, mas entender que são tecnologias que se complementam e se adaptam à realidade do aluno, pois é claro que a tendência da educação corporativa é superar as limitações e as barreiras de tempo e espaço. Tudo a favor do aluno e da evolução da empresa.

Os dispositivos móveis mais utilizados atualmente como smartphones e tablets mudaram a tradicional interação humano-computador com a substituição do uso do mouse, pois esses dispositivos utilizam a tecnologia touch screen (tela sensível ao toque). Porém, ainda há no mercado de e-learning uma resistência aos dispositivos móveis. Isso porque os dispositivos móveis mais utilizados hoje têm monitores menores, touch screen e não aceitam a tecnologia Flash, o que os torna incompatíveis com grande parte dos cursos online desenvolvidos hoje no Brasil.

Mas, posso garantir que essa realidade tem mudado. Com a nova tendência, o mercado tem exigido estudar novas formas de adaptação, desde o desenvolvimento do curso, passando principalmente pela programação e finalizando na aplicação aos alunos.

O que buscamos hoje é desenvolver cursos em HTML5, que, apesar de possuir maiores restrições e algumas dificuldades, tem um resultado tão bom quanto os desenvolvidos em Flash e são aceitos em todos os sistemas operacionais, facilitando, por exemplo, o acesso ao curso em um transporte público ou em uma viagem de negócios.

Esse mercado veio para ficar e a tendência é que o m-learning seja apenas o precursor de um ilimitado mercado da educação à distância.

Podemos pontuar algumas transformações que o m-learning fará no mercado de EaD:

1. As tecnologias disponíveis para m-learning potencializam os processos de ensino e de aprendizado corporativo facilitando a capacitação dos colaboradores com os recursos da mobilidade.

2. Existe uma grande demanda em desenvolvimento de m-learning, pois os cursos virtuais utilizados pelas empresas não se adaptaram aos dispositivos móveis devido à resolução de tela, usabilidade e linguagem de programação.

3. A utilização de dispositivos móveis não para de crescer e até final de 2013, os telefones celulares ultrapassarão os computadores pessoais como dispositivo mais comum para acesso à web.

4. É cada vez mais necessária a criação de metodologias para desenvolver cursos eficazes de m-learning.

______________________________________________________________

Esse artigo foi publicado na Revista T&D.
Por Vinicius Araraki